sexta-feira, 30 de julho de 2010

IGREJA, POLÍTICA E CIÊNCIA




Desde o primórdio da Civilização o homem precisou de um ser superior para conseguir entender a sua essência. À medida que as tribos foram se organizando foram tomando
consciência de que fomos gerados de alguma maneira e que precisaria de um Criador
Bem mais tarde tudo girava em torno de um Criador que passou a ser conhecido por Igreja e tudo em torno dessa Instituição misturado com o poder econômico, Rei, Clero etc. Hoje mesmo a Igreja tentando se separar. O poder Político e Eclesiástico caminha juntos tanto na opressão como na corrupção de algumas Igrejas e Seitas. O homem é um ser político e é impossível viver fora, qualquer decisão é um ato político e a omissão, o desinteresse e a falta de conhecimento é a pior política. Política partidária. É muito complicado para um religioso ser candidato, pois o padre é de todos e os partidos políticos cuidam mais de seus interesses que o povo. Em uma campanha o candidato tem que fazer promessas e tem gente que gosta, mesmo sabendo que é impossível comprimir, bem como as promessas dos milagres das igrejas corruptas. Como padres somos ministro do Senhor e não precisamos iludir ninguém para nos elegermos e o que o povo nos pedes é mais fácil de atendermos. Como políticos os pedidos são outros se falarmos a verdades corremos o risco de não sermos eleitos e se prometemos o que é impossível, seremos como os outros. Talvez fosse melhor apoiar um candidato menos corrupto, que seja um bom pai, esposo e que crê em Deus.No caso de colocar um membro do Clero na política é necessário que tenha muita cautela para não fazermos igual muito que conhecemos que forma a maior decepção como político. Hoje temos alguns candidatos religiosos fazendo um bom trabalho, mas são poucos.Eu já fui candidato a Vereador por Aparecida de Goiânia, foi uma decepção eu era um dos mais contado, mas na urna que votei e levei toda a família , por incline que pareça, nem meu voto estava na urna. Faz muito tempo não tinha ainda o voto eletrônico. Como cargo de confiança do prefeito, ajudei muito na assistência social, mas sofri muito para cumpri os compromissos que fazia em nome do prefeito, mas foi uma boa experiência. Fui assessor parlamentar, quase nada pude fazer e fui despedido por ser teimoso. Quanto Ciência é impossível caminharmos sem ela, pois só através da mesma podemos ter a certeza de muitas coisas ocultas á luz da fé. U ma Igreja que ignora a ciência é morta e não merece credibilidade O homem moderno e movido pelo a fé e a razão a emoção faz também parte da caminhada, mas tudo tem uma dose certa. Fé, Ciência e política é para nós como o Ar, Luz e o Pão. São caminhos que andam de mãos dadas um sempre dependendo do outro.

O PADRE NEGRO DESAFIANDO O CELIBATO DA IGREJA

O PADRE NEGRO DESAFIANDO O CELIBATO DA IGREJA. Sugestão para o nome e capa do livro. O celibato obrigatório não é bíblico e sim econômico. O padre sendo casado além das obrigações com a família em vida, e quando ele morrer quem vai cuidar de esposa e filhós? Ele não tem carteira assinada! E tudo que ele possuiu pertence a Igreja.O melhor mesmo é ser celibatário porque tudo que possuir em sua vida fica para a Igreja, O tempo não nos convence, pois tem tantas outras profissões que passa a maior parte do tempo fora de casa e nem por isso tem que abandonar a família. A pureza também é coisa do passado, mesmo porque virgindade na cultura de hoje nem sempre é uma virtude como era antes. Nos primórdios da Igreja Santidade era sinal de virgindade. Isso pode ver no caso de Santa Joana Dark que precisou ser examinada para ver se era virgem. No de Maria Mãe de Jesus. O filho de Deus teria que vir de uma virgem, como afirmava as profecias E hoje sabemos que as pessoas mais equilibradas e responsáveis são casadas. A natureza é sábia é falou o químico francês Antoine Lavoisier: Da natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma. E essa transformação será feita independente da vontade da Igreja. a Solidão, o assédio por algumas mulheres e o desejo de buscar um amor perfeito e até buscar o proibido, pode ser um dos motivos de tantas mulheres envolvidas com padres. Os casos de pedofilia e o desequilibro da família sacerdotal faz com quer o número de católicas esteja diminuindo assustadoramente no Brasil.

MINHA PRIMEIRA MISSA

MINHA PRIMEIRA MISSA
Em toda historia da Igreja no mundo, foi único padre que celebrou sua primeira Missa em uma invasão. Fui ordenado padre dia 29 de junho de 1981. Para cumprir uma promessa que fiz seis meses atrás quando fui preso defendo os posseiros urbanos na invasão do J.Boa Sorte ao lado Jardim Nova Esperança. Foi em uma manifestação dos moradores do Jardim Nova Esperança que prometi celebrar minha primeira missa em uma invasão e como foi eu o fundador do Parque Santa Cruz, lá para ser o lugar indicado.Depois de ter fundado o P arque Santa Cruz fui para Aragoiania e padre Pedro Miguel Pascoal ficou em meu lugar.Com a ajuda do vigário Padre Pedro, reunimos a comunidade e parte do Clero e celebramos a missa em um campo de futebol.Estiveram presentes: O prefeito dos estudos e Vigário Geral, Padre José Pereira de Maria.O reitor do Seminário Santa Cruz, padre José Vicente Barbosa. O Diretor Espiritual do Seminário Santa Cruz Padre Quevedo.O coordenador da Pastoral, Frei Marcos Sastelli.Padre Pedro Miguel.Pascoal vigário da Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe. Frei Dionísio, Vigário da Paróquia Santo Antonio. Padre Pedro Mendes colega de Seminário e que trabalhou comigo na fundação do Setor, Irmã Tereza de Aragoiânia e outras freiras, seminaristas e agentes de Pastoral Grupo de jovens comandados por os amigos: José Olimpio, Zezé, Benedito dos Santos(Bené) e mais de cinco mil pessoas. Na ocasião embora não era tempo de chuva, choveu um pouco que em minha homilia falei que seria as lagrimas de Deus chorando pelo seu povo sofrido.A segunda missa foi em Aragoiania, minha Paróquia de Santa Luzia,concelebrarão comigo: Padre Luis Lobo, Vigário da Catedral, Diácono José Hailo e um Seminarista. Terceira missa em Inhumas, Concelebrei com Monsenhor Angelino, Vigário da Paróquia Nossa Senhora de Santana. Quarta Missa na casa do Divino Pai Eterno, Trindade Missa dos Romeiros, juntamente com os padres Redentorista aqueles que muito me ajudaram em minha vocação sacerdotal. Missão cumprida em Goiás. Viajei para Bahia com os representantes da Paróquia, meu amigo Padre Pedro Pascoal, o Seninarista Camillo,meu amigo Valdemar Vieira e os jovens da comunidade liderada por meu amigo José Olimpio.A minha quinta Missa foi na Gruta da Ressurreição em Bom Jesus da Lapa, juntamente com os padres da Paróquia.Foi uma promessa que fiz comigo mesmo de ir aquele lugar tão falado pelos os baianos, mas que nunca tive a oportunidade de visitá-lo.Sexta Missa em Irecê, minha terra natal. Concelebramos com os padres da Paróquia e foi a primeira vez que vi uma Mãe com os olhos cheios de lágrimas recebendo a Eucaristia das mãos de seu filho padre. Ficamos três dia em Calderão e Irecê fazendo reunião com os jovens e casais. Em Salvador ficamos mais três dias, e celebrei a sétima
Missa na Capela do Cento de Líder com as irmãs, Padre Pedro e o Seminarista Iraci Camillo. E assim completou a minha primeira peregrinação como padre . Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

terça-feira, 27 de julho de 2010

DEDICATÓRIA, OFERECIMENTO E APRESENTAÇÃO

Dedicatória

À minha Linda e magnífica esposa
Companheira de todas as horas que
Inspirou-me com seu olhar de mulher
E guiou-me nos caminhos do conhecimento.



Oferecimento

Minhas lindas queridas filhas que através delas
tive a graça de ser pai.

Nádia Danielle
Larissa Cristina
Bruna Grazyelle
Jacyara Mayanna
Rayssa Gabryelle
Laura Castro
Isabella Castro.


Meus Netos: Marcelo e Marcos Felipe.




APRESENTAÇÃO

Este livro foi escrito para mostrar ao mundo que é possível ser bom, desafiar o mal e mostrar que é nadando contra as correntes que nos tornamos mais forte. Sou EU! O padre negro desafiando o mundo e as estruturas pecaminosas do Preconceito, Racismo, miséria, preguiça, vício, a pedofilia e a droga de maneira geral. E ainda mais as estrutura mais forte mundo: A Igreja Romana, Santa e Pecadora. Santa por estar sempre comprometida com os pobres e pecadora por usar sua autoridade religiosa contra fieis indefesos e por manter algumas normas ultrapassadas que mais escraviza do que liberta, como: O celibato obrigatório e discriminação da mulher que ainda não pode ser Sacerdotisa e por usar ainda em pleno século XX a excomunhão como meio psicológico para punir os fiéis. Denunciar a estrutura política que faz o uso da palavra de Deus usando algumas igrejas e seitas inescrupulosas para elegerem seus candidatos corruptos. Desfiar a estrutura policial que não prepara melhor seus policiais que ao invés de dar segurança à população a deixa escandalizada como acabamos de ver no caso jovem filho da atriz Cícera Guimarães onde os policiais pediram propina para liberar o atropelador e ainda mais, com ameaças. No Caso Bruno ex-Goleiro do Flamengo e muitos outros. Cadê os profetas brasileiros! Todos morreram? Mataram o Jornalista TIM Lopes, mas onde estão os profetas? É hora de uma grande revolução em todos os âmbitos da sociedade Cultural, política, religiosa e econômica. Até mesmo no esporte, que coisa feia aconteceu com a Ferrari na formula 1, pedindo que Felipe Massa deixasse Fernando Alonso passar e não é a primeira vez, já havia acontecido com a mesma Equipe Rubinho Barriquello. Juízes corruptos, caso já acontecido aqui no Brasil. O presente livro é a porta escancarada para o início de grandes debates. Como ex-presidente do Conselho Tutelar dos Direito da Criança e do Adolescente e Diretor da Escola Caminhos para Libertação, priorizei total apoio às crianças. Como Pedagogo, em primeiro lugar coloco três matéria principais em minha vida que forma um tripé: Filosofia, Teologia e Pedagogia. Com a filosofia aprendi, duvidar de tudo e buscar sempre uma resposta que nada é imutável e que o homem é um ser inacabado crescendo em cada alvorecer. A Teologia me ensinou a acreditar no Grande Mestre Jesus e que nada é impossível aos olhos do Criador do Universo. E a pedagogia, mostrou-me o caminho da simplicidade, aprender com os pequenos que como professor, sou também aluno como falou o grande educador Paulo Freire: Não existe professor, nem aluno. O que existe é um Educador educando e um educando educador. Nas escolas que fui professor com: Colégio Santo Agostinho, aprendi muito com os alunos e a Diretora Irmã Leuter, No Colégio Estadual de Aragoiania, aumentei meus conhecimentos. Em Goianira, fui professor no Colégio Estadual de Goianira no Curso Normal como era chamado na época. Graça aqueles alunos e alunas despertaram em mim o desejo de ser Pedagogo. Fundei uma escola particular para mostrar que só a Educação Libertadora é capaz de resgatar a verdadeira liberdade do homem. O que não temos na escolas atuais, pois temos mais instrução que educação. Em todos os colégios por onde passei como eram colégio do estado pouco pude fazer, pois, tinha que obedecer as ordem dos diretores, nem mesmo na Prefeitura de Aparecida de Goiânia onde fui Coordenador Educacional por quatro anos, tive que ajudar na área social pois eu era muito polêmico para este cargo. No colégio Santo Agostinho até que tive oportunidade, pois a Irmão Leuter era muito aberta, mas foi por pouco tempo. Na escola Caminhos para a Libertação estamos tentando na medida do possível implantar uma Educação Libertadora.Um dos pontos principal que vamos abordar neste livro é a família, tenho várias poesias feitas para minha esposa, filhas e netos. A meta primeira para uma família é a fidelidade conjugal, a verdade e falar só o que podemos fazer na prática. O padre, a sacerdotisa, o Bispo, Bispa ou qualquer outro religioso tem que ser mesmo diferente! E livre, não pode ter nenhum vício, e se for solteiro sexo só dentro do Matrimônio. Como um cego poderá guiar outro cego? O ministro do Senhor tem que dar testemunho de fé e verdade. É isto o que queremos tratar neste livro.
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

DEDICATÓRIA,AGRADECIMENTOS EAPRESENTAÇÃO

segunda-feira, 26 de julho de 2010

ALCOLCOLISMO A DESGRAÇA DO MUNDO

O álcool é a desgraça
Que destrói os nossos lares,
E a discórdia maligna do mundo
Encontrado em todos os bares.

O álcool matou meus irmãos
Deusdete e Carilvaldo.
Estragou a nossa vida
E arrasou meu cunhado.

É o vício mais terrível
Que mata sem perceber,
Destrói nossas famílias
impedindo de crescer.

Oh... Maldito álcool da cana
Que já foi a nossa riqueza,
É o demônio nas geladeiras
E a falta de pão na mesa.

É o motivo de tantas separações
E crianças abandonadas,
É o caminhos para outras drogas
E tantas mortes nas estradas.

Há... Se eu pudesse acabar
Com as bebidas alcoólicas do mundo,
Acabava com todos os males
E traria a paz no mundo.

A paz que Jesus deixou
Em nosso bondoso coração,
E que o vício destruiu
Trazendo a confusão.

Oh... Senhor da liberdade
Eu te peço em oração,
Tornai livres os nossos povos
Com a Santa Comunhão.

Mesmo contra a corrente
Lutarei sem descansar,
Confiante na salvação
Que um dia há de chegar...

Quer lutar comigo contra este demônio?
Dê-me sua mão! Vamos... Caminhe comigo...

ADOTADO POR MARIA

ADOTADO POR MARIA E CONSAGRADO EM SUA OBRA

O movimento dos focolares, conhecido também como Obra de Maria, foi o início de minha de minha consagração total à Nossa Senhora. Esse movimento foi fundado na cidade de Trento na Itália, em meio a guerra e espinhos em 1943, uma jovem de 23 anos de idade por nome de Silvia Chiara Lubich, que plantou entre os espinhos a semente da palavra e colheu as flores. Através do Monsenhor Aldorando Mendes, fui convidado juntamente com um grupo de jovens da Catedral para minha primeira Mariápolis, em Aparecida, São Paulo. Eu já era seminarista e meus amigos com brincadeiras me apresentavam como padre Nigritis. Em aparecida fiquei hospedado no seminário Santo Afonso, onde pude sentir a força salvívica do Senhor Jesus através das orações dos jovens seminarista. Nos encontros de debates e troca de experiências dos teólogos, seminaristas, eu era o foco principal, por ser muito falante e também pelo o fato do Estado de Goiás ser pouco conhecido no meio religioso. Quando falava em Goiás era motivo de admiração como se Goiás fosse o fim do mundo. Foi uma semana de oração e na casa da Mãe Aparecida, muitas amizades com jovens e adultos de vários estados. De volta para Goiânia continuamos com o movimento dos focolares com o apoio do Monsenhor Aldorando Mendes, Vigário da Catedral. Voltei no outro ano e já havia muitos jovens que queriam me conhecer e crescia em minha mente uma interrogação!
Por que tantas pessoas querem conhecer esse jovem cabeludo, preto e um pouco questionador. Pedi A Mãe Maria que me ajudasse a responder. Mas a resposta foi muito lenta. De volta à Goiânia continuei no movimento que crescia em várias Paróquias e meus colegas e eu preparamos jovens e adultos para o próximo encontro. Agora já em Divinópolis MG. Dessa vez já como padre. Os participantes dos estados da Região Centro-Oeste, Espírito Santo e outros estados da região passaram a participar em Divinópolis. Foi também em Aparecida que conheci melhor a Renovação Carismática Católica que muito me ajudou em minha vida. No congresso Nacional da Renovação Carismática Católica me encontrei totalmente com a força libertadora do Espírito Santo.Uma moça me convidou para continuar a confissão, pois as 19h encerrava as atividades no Colégio pólo Esportivas, com a Santa Missa. E assim continuou durante todo o encontro. Os colegas padres ficavam preocupados e eu um pouco assustado, mas entregava tudo a Maria, pois se ela pôs-me
Neste caminho ela estava sabendo o que estava fazendo. No próximo ano voltei com
com muito mais gente, respondi todas as cartas dos fieis e encontrei até caravanas que foram à Mariápolis para confessar comigo. Era tantas pessoas querendo falar com o padre desajeitado que até mesmo a direção do movimento ficou preocupada, e convocou uma reunião para ver o por que tanta gente deixava de confessar com os outros padres para confessar comigo! E perguntaram o que eu estava fazendo para ser o preferido entre todos, fiquei muito constrangido, olhei nos olhos deles e sem palavras pedi em silêncio que Maria respondesse por mim. Pe. Nilson de Belo Horizonte respondeu por mim dizendo: O padre é simples, comunicativo, alegre e carismático, não precisamos ter ciúmes dele, vamos cuidar de nossa fé e agradecer a Deus por termos entre nós um padre como Padre Osiel. Todos se calaram e partimos para a programação do dia seguinte. Passei a noite em oração e só dormi duas horas da madrugada. No outro dia muitos padres da direção me olhavam de rabo de olho. Voltei para Goiânia, continuei no movimento por mais alguns meses e preferi não ir mais à Divinópolis para evitar confusão. Não sei como está o movimento hoje e nem sei se eu seria aceito como membro , pois é um movimento que segue rigorosamente a orientação da Igreja Romana. Mas foi no movimento que através de Maria conheci o verdadeiro amor em Jesus, a força da oração que nada é impossível para Deus. Acompanhei viciados, assaltantes, prostitutas, garotas de programas, homossexuais e pessoas que nunca pensava que fosse capaz de se recuperar. Hoje aprendi com Maria, quando em Bôdas de Caná, Jesus transformou água em vinho, e primeiro os noivos falaram com ela que
ao queixar para seu filho que não tinha vinho, Ele falou: Mulher ainda não chegou a minha hora. E mãe Maria falou para os garçons: faça tudo que Ele mandar, E assim os
Fizeram. Jesus pediu que os enchesse a jarras de água e transformou em vinho da melhor qualidade. É por isso que os devotos de Nossa Senhora, sempre são atendidos em suas preces. Nossa Senhora aparece da cor e forma de seu povo, dependendo de sua cultura ou Nação. No México, temos Nossa Senhora de Guadalupe. Aparece como uma Índia com a aparência de grávida para proteger seu povo. No Brasil aparece preta, lembrando que as raízes dos brasileiros são mais de negros. E é a padroeira, mas Santa Maria a parece de todas as cores. Nossa Senhora de Lurdes, Nossa Senhora de Fátima, Nossa do Perpetuo Socorro etc. Eu agradeço a Deus e Mãe Maria por ter me dado sete filhas mulheres, meus filhos adotivos e a responsabilidade de conviver com as mulheres, sempre defendendo o direito e a igualdade delas, sobre tudo as mães solteiras que infelizmente ainda são discriminada pela a sociedade até mesmo parte da Igreja Romana e outras religiões “Eis aqui a escrava do Senhor faça em mim segundo a vossa palavra”. Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

MEUS QUATROS FILHOS ADOTIVOS

MEUS QUATROS FILHOS ADOTIVOS

Pensando ser um padre mais esclarecido e comprometido com aquilo de mais sagrado no mundo, adotei quatro crianças. Filhos de minha irmã Marinalva, mãe solteira que não tinha condições de criar as crianças e que os pais nem ela mesma sabia certo quem eram e se sabia não nos contava. Para fazer vontade de minha mãe
acolhi seus netos: Fernando e Fernanda, gêmeos com um ano e meio de idade e Regina Célia com três anos. Quando eu era vigário da Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, fundada por mim, fui celebrar uma missa em comemoração ao dia das mães na vila São Pedro em Aparecida de Goiânia. Ao terminar a missa uma criança dormia em um banco. Eu perguntei quem era aquela criança desprotegida e Dona Lucilia assistente social e irmã do prefeito de Aparecida Sebastião Viana me respondeu que era para dar. Eu peguei aquela criança de quatro anos cobri com minha túnica, coloquei no banco do carro e levei para a casa paroquial. Pedi para minha mãe me ajudar cuidar e ela falou: Seja feita a vontade de Deus, onde come três come quatro. Dois dias depois dona Lucilia me convidou para celebrar a missa de sétimo dia da mãe e do tio da criança que adotei, pois seu próprio pai foi acusado de matá-los, na celebração vi que foram sete órfãos e Wellington foi rejeitado por ser o mais custoso. Essa foi a minha primeira experiência de família. Depois mandei buscar meu irmão José Luis com seus nove filhos, ficaram comigo na chácara e depois arrumei um lote em Aparecida e os ajudei a caminhar com seus próprios pés. Mandei buscar minha irmã Elizabete, seu esposo Eurides e seus onze filhos, ficaram comigo um ano na chácara e voltaram para Bahia.
Fiquei com meu sobrinho Denílson na casa paroquial e o ajudei a estudar. Depois a vez de meu sobrinho Manuel messias, ficou comigo na casa paroquial um ano, arrumei emprego e depois se casou e vivem muito bem. Meu irmão Mario ficou comigo na casa paroquial dois anos, também a ajudei a estudar e depois regressou à Bahia, hoje é pastor evangélico. Antes de ir para o seminário cuidei de oito irmãos e minha mãe. Depois como padre minha irmã, Lindaura ficou um pouco na casa paroquial até se casar.
Doralice irmã mais nova foi morar comigo em Aragoiania e logo se casou. Minha mãe voltou para a Bahia e meu irmão Albino amigo e muito honesto, ficou trabalhando comigo na chácara, casou-se, voltou para a Bahia e para ajudar-lhe mandava um salário mínimo todos os meses durante um ano. Tentei ajudar também meu sobrinho Robério, ficou comigo trabalhando como cobrador do transporte coletivo. Hoje é um excelente Pastor Evangélico. Mesmo assim fui derrotado! Não dei conta de organizar minha família. Pensando dar um final feliz para minha mãe, aluguei uma fazenda, comprei gados, galinhas e tudo que ela gostava e mandei buscá-la para viver o resto da vida em paz. Cumpri a parte mais importante de minha vida, que foi fazer minha mãe feliz. Viveu dois anos na fazenda, depois sofreu uma trombose, precisando amputar parte da perna direita. Tive que vender o gado e voltar para Goiânia. Fernando que morava conosco ficou em Bela Vista. Um ano mais tarde ela faleceu na casa de sua filha mais nova Doralice. Foi velada na casa de seu filho Dermival membro da Assembléia de Deus. Minha mãe morreu em paz. Um ano antes de partir pediu-me para batizar na Igreja Assembléia de Deus na qual meu ex-vaqueiro Sebastião de Paula participava, pois ela o tinha com seu filho. Hoje estou fazendo uma revisão da minha vida. Será que fui um bom pai? F ui um bom filho? Sei que ficou muito a desejar, mas fiz o que pude. Tenho ainda quatro filhas dentro de casa, quem sabe poderei ser bem melhor com elas. Como estão meus filhos adotivos agora? Welingtom se casou, tem dois filhos e é Pastor da Assembléia de Deus. Fernando é motorista, está bem. É evangélico da Igreja Universal do Reino de Deus. Fernanda também se casou e está bem. Regina Célia também se casou, é enfermeira e vive muito bem com seu esposo. Mas mesmo sendo pai adotivo, não foi o suficiente para sentir-me seguro para cuidar de família e me sentir pai de verdade. Tive que casar-me. Agora com a graça do Senhor Jesus, estou mais preparado para falar com autoridade e viver a família. Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

DIVINO PAI ETERNO EM MINHA VIDA

DIVINO PAI ETERNO EM MINHA VIDA.

Foi em Trindade que através dos padres redentoristas acreditei mesmo que poderia ser padre. Eu participava da comunidade jovem Divino pai Eterno. Padre Pedrom era o nosso diretor espiritual. Em um encontro no Colégio Divino Pai Eterno, muitos jovens me procuram para desabafar e confidenciava seus segredos, apavorado procurei o padre Pedrom e ele falou: Vai atender seus amigos, você vai ser padre mesmo! E falou para toda comunidade que eu ia ser padre. Todos os participantes do encontro vieram me parabenizar e o casal Waldivino da Celg e Glorinha espalhou para as outras comunidades. Meu amigo Waldemar Vieira que participava comigo da Comunidade São Sebastião de viva Aurora, em Goiânia, falou para os jovens daqui que me acolheram com muita alegria e eu acabei gostando da idéia.
A VILA SÃO COTOLENGO, foi um dos pontos de partida, lá participei de um encontro liderado pelo o padre Haroldo de São Paulo e Zito, com a coordenação dos padres redentoristas: Ademar João Pedrom, Padre Antonio Cornélio Viana e padre Campos.Foi a primeira vez que senti a voz do Espírito Santo em meu coração. O tema do encontro foi: Quando o Espírito Santo fala em nossa vida. A situação daqueles moradores deficientes e o cuidado e carinho das pessoas que os cuidavam me deixou fortalecido na fé.Depois de um mês a mesma equipe de São Paulo e Trindade realizaram o primeiro TlC. Treinamento de Liderança Cristã de Trindade, realizado no Seminário dos Padres Capuchinhos de Hidorlândia.foram três dia de alegrias, emoções e lágrimas.
Mais uma vez Jesus bateu em minha porta, e o convívio com os seminaristas capuchinhos reforçaram a minha fé.Em dezembro de 1975 foi convidado para dar uma palestra no grupo de jovens da CSS. Comunidade são Sebastião de vila Aurora, mas primeiro tinha que ir à Bahia cumprir parte de minha missão, visitar minha família e trazer minha irmã para me ajudar. Em minha viagem fui alimentado pelas as músicas do padre Zezinho que para me é o maior cantou da música religiosa de todos os tempos.Levei músicas gravadas em um gravador que tomei emprestado do meu amigo Waldemar Vieira. Dentro do ônibus fiz que todos os passageiros cantassem comigo e rezasse em todas as refeições. Nunca vir em toda minha vida tanta fé em um jovem que já pensava ser padre Ao chegar na Bahia, quando falei da intenção de ser padre, foi um espanto para os colegas de infância, eles não entenderão como uma pessoa tão brigão como eu tinha mudado tanto.Mas fui apoiado por amigos e familiares.Tinha pressa de voltar pois tinha que dar uma palestra no encontro de jovens no seminário redentorista em Vila Aurora. Em Feira de Santana, Minha irmã e eu compramos a duas ultimas passagens. No meio de confusão o cobrador vendeu passagens a cima da lotação e para evitar briga de um passageiro exaltado achei melhor ceder as nossas. O próximo ônibus já estava lotado e passagem só no dia seguinte, ai se foi o meu compromisso, mas como a força da oração é poderosa já na hora do ônibus sair, o cobrador chamou, nos e disse: Hei moreno, vocês topam irem de pé até desocupar dois lugares? Nós vimos a sua educação quando cedeu seus lugares para evitar briga e sabemos também de seu compromisso religioso em Goiânia que você falou. Um novo céu se abriu ainda tinha esperança de chegar para dar a minha palestra, pois o tema era: A fé na vida da juventude. Depois que andamos umas cinco horas, vir na estada uma grande confusão, era o ônibus que vínhamos tombados, alguns passageiros morrem e outros ficaram feridos, e uma senhora me tomou pelo o braço e falou: ta vendo moreno! Se você tivesse vindo nesse ônibus talvez estivesse morto agora e não daria a sua palestra. Neste momento ajoelhei e agradeci ao Criador por mais essa. Chegamos em Goiânia imediatamente para o Seminário na Vila Aurora.Fui direto para a capela me preparar. Como ninguém viu eu entrando, o coordenador do encontro falou: Como Osiel não chegou, vamos todos para a capela e Jesus será nosso palestrante.Vamos orar Poe ele para que tenha encontrado bem a sua mãe que tanto fala, e quem sabe ele chega até o final do encontro.Quando chegaram na Capela que me viram ajoelhado rezando, foram muitos gritos e lágrimas de alegria e neste momento foi envolvido pelo o Espírito Sato e mesmo gago, não gaguejei e foi a melhor palestra que dei em minha.Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.O PAI

domingo, 25 de julho de 2010

UM SONHO DE CRIANÇA

UM SONHO DE CRIANÇA

Mãezinha andei errante vagando
Nos trios tortuosos da vida,
Vendo seu rostinho triste chorando
Lágrimas melancólicas da despedida.

Com a alma vazia e cansada
Buscando do alto o sentido da vida,
De cabeça erguida segui minha estrada
Deixando um vazio na pátria querida.

No livro da vida encontrei meu caminho
Nos sonhos de crianças só flores existiam,
Entre estranhos fiquei sem carinho
Quando chegava de noite eu te via.

Chamava teu nome ninguém respondia
Com medo da noite fiquei assustado,
Esperava ansioso a volta do dia
A saudade de ontem que tinha passado.

Na luta continua do dia a dia
Caindo, levantando a vida enfrentava,
Tomando por experiência os tombos que vinha
Uma Ave Maria eu sempre rezava.

Com medo do frio levantava cedinho
Contemplando as estrelas sozinho eu chorava,
No cantar perseverante dos passarinhos,
Em frias neves o sol vislumbrava

Sem medo da noite e da escuridão
Acordei para ver a estrela da guia,
Vi mamãzinha com uma rosa na mão
Em um lindo sorriso ofertando a Maria

Partiu sorrindo no vermelhão da aurora
Deixando na terra teus raios dourados...
De mãos dadas com Nossa Senhora
Obrigada mamãe, muito obrigado.


Escrito do dia primeiro de dezembro de 1962
Ao dia primeiro outubro de 1963.Na fazenda
Do Sr.Ubirajara di Damos Caiado onde vivi
10 meses no inferno, trabalhando como escravo.
O lugar preferido para escrever era á noite dentro do
Chatão, Sela, isto é: quarto trancado por cadeado por fora
Pelo menos nos primeiros meses. Outro lugar preferido



Outro lugar era a beira do córrego na cede da fazenda.
O papel que eu usava era uma pequena caderneta de bolso
Na qual fazia também minhas anotações e a conta dos dias
Que faltava para minha libertação. Mais detalhes no meu artigo:
Dez messes no inferno.

sábado, 24 de julho de 2010

SE EU PUDESSE VOLTAR

Se eu pudesse voltar
Para minha primeira morada,
E novamente encontrar
Com minha mãezinha adorada.

Mãe, eu gostaria de lembrar
Quando no ceio materno eu morava,
La era um lar exemplar
Aonde ninguém perturbava

No seu ventre mamãezinha
Eu ficava bem guardado,
La era minha casinha
Meu santo lar adorado.

Mamãezinha, eu estava unido contigo
Desde alimentar ao respirar
Você estava unido comigo
Do deitar ao levantar.

Sua tristeza era a minha tristeza
Sua alegria era a minha salvação,
Seu sangue com fortaleza
Batia o meu coração.

Há se pudesse voltar!
A minha morada primeira,
Para puder preparar
A minha morada verdadeira.


Mas sei minha querida
Que é impossível voltar,
Foi um adeus se partida
Um novo sol a brilhar.

Você é o sol rubro que se levanta
Que me protegeu a vida inteira,
É o uma estrela que se desperta
É a melhor companheira

Você ensinou a amar
Deu-me saúde e fortaleza,
Ensinando-me a andar,
Brincando côa a natureza.

Essência da beleza humana
Arte do Salvador do universo.
Que me tirou da vida profana
E me ensinou fazer versos
Mamãe perdi-me na escuridão
Já não sei como voltar,
Tenha de mim compaixão
E não me deixe a vagar.

Mãe mostre-me o caminho
Que perdi quando criança,
Quero encontrar meu ninho
Pedacinho de esperança

Deixa-me cuidar de você
Como você me cuidou sempre
Antes que o escurecer
Adormeça-me eternamente.

Mamãe o meu presente
Que vou lhe ofertar,
É esse seu filho ausente
Que acaba de chegar!

Muito obrigado minha pequena flor
Por não ter me abortado,
Por ter suportado a dor
E manter seu nome honrado.

Você podia ter me matado
Como muitas mães assassinas,
Que matam os pobres coitados
Em nome da medicina,

Mamãe eu quero ser seu agasalho
Como você me agasalhou,
Como uma gota de orvalho
Que o sereno junta na flor.

Embora eu tenha pecado
Seu nome é doce lembrança,
Quando estou muito apertado
Chamo-lhe com criança.

Criança de rua sem ninguém
Que grita a mãe em pesadelo,
Eu grito seu nome também
Quando estou em desespero

Prometo-lhe oh mãe santa
Construir ou outro lar,
Pois sei que não adianta
Depois de regressar

Podemos tentar outra união
Com Jesus na eucaristia,
E viver em comunhão
Com a Santa Virgem Maria...

MEU PRIMEIRO ENCONTRO COM DEUS

Meu primeiro encontro
Minha primeira flor,
Meu primeiro Cristo
Meu primeiro amor.

Encontrei comigo mesmo
Meu Deus que emoção!
Encontrei o meu caminho
Nos olhos de meu irmão.

Chorei lágrimas de renuncia
Desabafei meu sofrimento,
Não derramei lágrimas por fora
Mas derramei lágrimas por dentro.

Minha primeira reflexão
Minha primeira parada,
Minha primeira esperança
Minha primeira estrada...

Encontrei mamãe abandonada
Minha protetora, minha guia,
Que deixei a muitos anos
No estado da Bahia...

Encontrei meu velho pai
Num túmulo esquecido no tempo,
Que se foi há muitos anos
Levado nas asas do vento

Encontrei os meus irmãos
Sofrendo que eu deixei para traz,
Que prometi um dia buscá-los
Para o sertão de Goiás.

Abracei os meus amigos
Que me estenderam as mãos,
E prometi que todos os povos do mundo
Tratariam com irmãos.

Oh Senhor... Jesus agora que te encontrei
Não quero mais te deixar,
Quero viver a vida
Amando e ensinando a amar...


Escrito depois do primeiro encontro de jovens
Realizado na cidade de Aracu, em 1968 tendo.
Como dirigentes uma equipe de São Paulo. Zito e
Chita de Goiânia. O vigário da Paróquia, padre Vitório e a
Irmã Isabel. Fui convidado pelo o jovem Helio Cunha.

O CÉU DA MINHA VIDA

O CÉU DA MINHA VIDA
O Céu da minha vida
Ninguém pode conhecer,
É a estrela mais querida
Que me fez renascer.

É água viva e corrente
Que molha meus lábios ressecados,
É um olhar inocente
Que deixa de ser condenado!

Oh Céu quanto te amo!
Teus lábios de rosas se abrindo,
Com tanto amor eu te chamo
E nossos lábios se unindo.

Unindo bem de vagar
Como flores desabrochando...
Com o espírito a levitar
E seus olhinhos fechando

Oh Céu... Abra sua porta!
Deixa-me entrar bem de mancinho...
Iluminando sua madrugada
E reluzindo o meu caminho.

Tu és o meu sol encantado
A minha estrela a cintilar,
Vejo teu rosto tão santo
Como Maria no altar.

Abençoando a minha essência
No meu mais profundo ser,
Tranqüilizando a minha consciência
Em um novo alvorecer.

Se tu fostes o Céu que procuro
Serei o teu Céu procurado!
Seremos o nosso futuro
Nos dois Céus encontrados.

Escrito na Capela do Santíssimo Sacramento
Da Paróquia Jesus Bom Pastor, Jardim Guanabara
Goiânia na madrugada de 29 de março de 1987,
Depois de ouvir por várias vezes a música do Padre
“Zezinho” Andava procurando a namorada ideal pediu
Ao Senhor que ajudasse a encontrar, mas um dia então
“Alguém te apresentou Maria...”

O CÉU DENTRO DE MIM

O CÉU DENTRO DE MIN.
Você se lembra meu Céu
Como você chegou?
A porta estava fechada!
Mesmo assim você entrou.

Você chegou lentamente
Violando o selo sagrado,
De uma maneira tão pura
Por Cristo abençoado.

Você nem bateu na porta
Também não precisava bater,
Nem teve culpa de nada
Pois o coração bate sem perceber.

E batendo lentamente
Ele vai desabrochando,
Um rosa se abrindo
E outra se preparando...

Céu quando você chega
É como a chuva que cai,
Trazendo-nos a primavera
Quando a tristeza se vai...

A tristeza vai se embora...
Vencendo aos pouco o medo,
O amor vai aumentando
Revelando alguns segredos...

Segredo que só eu galguei
Descortinando a essência de seu ser,
Colhendo o orvalho das relvas
Ofertando para você.

O sol se levanta no vermelhão da aurora...
Se despedindo do amanhã procurando do entardecer,
Em cada passo que eu der
Procuro sempre você...

Oh Céu... Fica eternamente
Para alegrar minha vida!
De todas as mulheres do mundo
Você é a mais querida.

Foi escrito depois de um encontro de Jovens
Da Paróquia Jesus bom Pastor. Em 1987.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

QUANDO DOIS SERES SE COMPLETAM

QUANDO DOIS SERES SE COMPLETAM

PE. Osiel procurando a mulher de sua vida.Angustia e felicidades.


Amigos à tarde já se declinam e a noite já vem chegando, mas mesmo quando tudo fenece uma luz reluzente mostra-me um outro EU que se faz UM comigo. Algo de novo envolve o nosso espírito de sabedoria e graças trasbordando nossas almas de conforto e paz.

Uma paz tão infinita que custa caber dentro de meu frágil coração quase parado de tanta emoção. A luz do Divino Mestre se mistura com o meu celebro e meu coração quase parado de tanta emoção, lentamente vai disparando de tanta ansiedade ao aproximar da pessoa que escolhi para minha missão aqui na terra.

Meu sangue ferve e meu coração queima querendo saltar do peito para fora. Em um profundo suspiro encosto meu corpo bem pertinho do seu e sinto sua temperatura tão forte quanto a minha.Trêmulo, uma luz luminosa ofusca os meus olhos e meu celebro e vejo o que nunca tinha enxergado com os meus próprios olhos. É a luz do Criador que me fez sentir em quem eu amo um pedacinho do Céu que tanto procurei.

Quando aperto a sua mão, sinto o seu pulso se misturar com o meu. Quando abraço seu corpo o seu coração bater dentro do meu. Quando beijo seus lábios, dois sonhos se realizam e duas flores se unem. Duas gotinhas de orvalhos caindo dos olhos do céu em um novo dia para regar o mais profundo amor.

Quando caminho contigo para santa Igreja minha alma rejuvenesce e meu sim se completa em cada passo. Se me confesso, meu espírito grita de alegria como uma criança ao regressar aos braços da mãe amada. Se comungo o corpo e o sangue de Cristo, em forma de pão e vinho, comungamos também com a nossa própria vida, aí sim tudo está consumado.

Agora podemos viver o evangelho quando nos fala: Um dia o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher e os dois passarão a ser uma só carne, portanto que o homem não separem aquilo que Deus uniu. Assim como dois rios misturam as suas águas, dois olhares que se encontram choram juntos quando estão em dificuldade. E assim fala no livro do Eclesiástico: Como o sol se levanta no alto do céu, assim é a beleza da mulher virtuosa, ornamento de sua casa. Significa que a mulher por si mesma é a beleza que enfeita não apenas sua casa, mas antes de tudo a sabedoria do homem que te escolheu. E a mulher e o homem juntos, realizam a obra mais perfeita e sagrada da natureza.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

QUANDO TUDO TERMINA

QUANDO TUDO TERMINA, SÓ VOCÊ EXISTE, MARIA SANTISSÍMA

O negrinho que ficou órfão e foi acolhido pela a Virgem Maria Santíssima

Em 20 de novembro parti para Goiás e minha mãe me entregou a Maria e mãe falou: vá por conta de Deus e de hoje em diante Nossa Senhora será sua Mãe.

Eu cresci e me ordenei Padre. Um dia na cidade de Aparecida casa da Mãe Maria, angustiado escrevi andando sobre a passarela: “QUANDO TUDO TERMINA”

Mesmo se o Sol parar no firmamento, mesmo se nenhuma luz do mundo for capaz de mostrar-me a própria sombra! Ainda me resta uma esperança. Só você Maria será capaz de devolver a minha paz.

E se a morte transpassar meu coração com uma flecha venenosa da traição? Mesmo se meus amigos se afastarem, e até mesmo o meu solitário quarto não couber dentro de mim? E se minha mente não mais funcionar para fazer minhas mãos rabiscar o meu desabafo? Mesmo assim Maria você ficará sempre comigo.

E se o meu próprio Céu desabar, e se minha amiga Natureza abandonar-me? E se uma nuvem luminosa mostrar-me um forte desafio? E se eu cair na sarjeta da vida! E se a própria vida se esconder de mim? Chamarei sempre por você!

Se meu Eu não couber dentro de mim e o mundo me bastar? E se eu não couber dentro do mundo? E se meu próprio corpo, meu amigo de todas as horas me abandonar? O que farei? Chamarei sempre Maria... Pois só você Mãe Santa poderá me encontrar.

Mas se a velocidade da vida galgar a minha lucidez e ultrapassar os meus limites, e os faróis errantes como os meus ofuscarem a minha visão levando-me a chorar com a morte? Eu não me esquecerei de novamente de chamar seu Santo nome.

Mesmo se a noite declina e tudo começar a fenecer, e minha lucidez terminar a ponto de me enlouquecer, eu gritarei como um louco o seu nome mais alto ainda... .

Se os sonhos lindos terminarem, e transformarem em monstros pesadelos. Você Maria será sempre o começo. Começo de um novo mundo, quem sabe, até mesmo de um novo céu. Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.

NEGRO PRETO DE ALMA E CORAÇÃO. ASSASSINATO DO PADRE JOSINO


NEGRO PRETO DE ALMA E CORAÇÃO
ASSASSINATO DO PADRE JOSIMO


Negro preto de alma e coração
Que fez seu trabalho com amor,
De sandálias havaianas nas do sertão
Fazendo o trabalho de preto que Deus mandou.

Negros Josimo dos humildes posseiros
Luz que os guia na escuridão,
Defendendo os pequenos dos traiçoeiros
Combatendo as armas com a Bíblia na mão.


Padre negro de São Sebastião
Rei do estado de Goiás.
Seu sangue derramado no chão
Fortalece-nos muito mais.

Vamos formar outro quilombo
Longe ou perto daqui,
Com um pé sobre o ombro de Josimo
Outro sobre o ombro de Zumbi.


Em Palmares Zumbi foi perseguido
Mas deixou seu nome na história,
O que você fez não foi perdido
Pois mostrou-nos o caminho da vitória.

Com trinta e três anos de idade
E sete anos de presbitério,
Você nos revelou a verdade
Mas nos deixou um mistério.


Mistério de um número infinito
Mistério do vinho e do pão
Mistério da idade de Cristo
Escrito com seu sangue no chão.

Sangue de índios, negros e posseiros
Em vermelhando as águas do Tocantins e Araguaia,
Corpos abatidos pelos os pistoleiros
Corpos achados na praia.


Josimo marte da terra
Assumiu sua negritude,
A sua lembrança é eterna
No meio da juventude...


Cristo nos deixou um presente
No dia de sua partida,
Josimo não foi diferente
E nos deixou dana Olinda.


Agora estamos unidos
Em torno dessa Rainha,
Juntos em todos os sentidos
Ela não lutará sozinha.

Olinda segue sua missão
Com a camisa do filho ensangüentada,
Que Deus tem compaixão
E abençoe essa jornada...




Poema escrito em 10 de julho de 1986
Pelo o Pe. Osiel Santos, Vigário da Paróquia
São Geraldo de Goianira e apresentado na missa do
Trigésimo dia de sue falecimento, celebrado na Catedral
Metropolitana de por Dom Fernando Gomes e o clero.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

PADRE OSIEL DISCRIMINADO POR SER PRETO

O PRETO DE ALMA BRANCA?

Preto de alma branca é assim que são tratado os pretos que fazem um bom trabalho, ou você é preto mais é homem! Você fez um trabalho de branco. Quando fazemos um bom trabalho bom, é trabalho de branco e quando fazemos ao contrário é de negro. O negro desde os primórdio da civilização brasileira foi discriminado, mesmo com a abolição dos escravos através da assinatura da Lei Áurea pela a princesa Isabel em 1888, os negros continuaram a ser discriminados. Os negros não podiam votar nem ser funcionário público. E a mulher era ainda pior, até mesmo na Igreja o negro não podia ser padre, e a mulher nem se fala até hoje é discriminada, não pode ser sacerdotisa e considerada como um demônio que extravia a vida do “SANTO PADRE”. Hoje é diferente mais o racismo está presente disfarçadamente. Os ditados e as piadinhas continuam como: Preto em pé é um toco e deitado é um porco, preto não dorme cochila, preto é o primeiro que chega e o último que come e responsável pelas as coisas que somem. Os apelidos: Macacos, torrão de asfalto, toco de roça nova, urubu carniceiro, e outros. Eu fui humilhado em toda minha vida. Ha cinqüenta anos atrás eu fui obrigado a aprender lutar para enfrentar as humilhações na escola e na rua, não gostava de ser chamado de: Maria fumaça e tiziu. Na hora de arrumar emprego, eu era escolhido para o trabalho pesado e ainda mais alguns falavam que era bom porque tinha as canelas finas e os dentes bons, mesmo eu tendo um pouco mais de estudo, ficava sempre com o serviço pesado. Com o futebol e a fama do Rei Pelé, começou melhorar, logo ganhei esse apelido, tudo estava bem quando meu time ganhava e eu marcava gol, mas quando perdia! Era o urubu azarento. No ginásio fui expulso por tirar nota melhor que a filha da diretora, ser negro ser protegido pelo o chefe político da cidade que me deu todo o material escolar. No Colégio Estadual Professor Pedro Gomes, tinha de Muçum e velho Zuza, gostei muçum por ser alegre e velho zuza por ser uma personagem do Grande humorista Chico Anísio que mais tarde Nigritinho apelido carinhoso que sou conhecido por muitos até hoje. Mas foi no Colégio Pedro Gomes que minha vida começou a mudar, certo aluno abusou de mim por causa da cor, eu fiquei nervoso e o peguei para jogar do primeiro andar para baixo, fui impedido pelas as colegas: Paula, Elsa e Diva, que as mesmas levaram ao conhecimento da diretoria. Fui chamado na sala do diretor Neres, que depois de me aconselhar, mandou para a sala dos professores, onde fui muito bem acolhido por todos principalmente pelos professores de Química Florisvaldo, Azor, Josias e demais que muito me confortou e me aconselhou me deixaram sem recreio para evitar que encontrasse com o caluniador. Logo depois do recreio fui liberado para assistir a aula de botânica que o professor era preto: Professor Josias. Esse grande mestre aula de humanidade e falou que tinha pena dos racistas, por serem tão pequenos que às vezes nem mereciam dar tanta importância. Depois da aula o aluno saiu eu nunca mais voltou ao colégio. Eu que era muito custoso tive que melhorar, pensei ser padre e no Seminário foi muito bem acolhido pelo o Arcebispo Dom Fernando,O diretor espiritual Pe. Quevedo, o Prefeito dos estudos e vigário Geral Pe. Pereira e todos os seminaristas.

Na Igreja não tive nenhum tipo de rejeição por ser preto, pelo o contrário, tive sempre o apoio de todos. Mesmo com tanta gente me ajudando, eu ainda não tinha assumido a minha negritude e que me ajudou a assumir nem sempre foram os pretos e sim os brancos. Na comunidade da Igreja do ateneu Dom Bosco, fui recebido incentivado pelos os amigos do grupo de jovens: Cairo, hoje Dr.Cairo de Freita que Secertário de Saúde, Pedro Batista, que mais tarde, foi vereador e presidente da Câmera, Dayse Nancy que mais tarde celebrei seu casamento com Marcos Nascimento na Igreja Dom Bosco, Telor e Terezinha que tive a honra de celebrar o casamento de uma de suas filhas na pousada dos engenhos, Suely, Rosely e Rosana e vários jovens e ninguém era preto, mas me deram força. Na comunidade da catedral todos me ajudaram e não tinham nenhum negro. Eu participava da mais alta sociedade de Goiânia, aparentemente, não era discriminado, mas quando os pais dos jovens meus amigos perguntavam pro que eles gostavam tanto do nigritis a maneira carinhosa como eles me chamavam, eles respondiam: Ele é preto mais é seminarista e mora com o bispo! Nigritis é preto mais é estudado! É preto, mas... Foi aí que descobri que mesmo meus amigos querendo me ajudar, eles tinham que justificar quem eu era! E se eu não fosse seminarista? Se não morasse com o Bispo. Descobri então que o racismo é mais econômico, as pessoas como: Pelé, Milton Nascimento, Milton Gonçalves e outros Negros famosos não sofrem tanta discriminação. Só me encontrei totalmente na Universidade Federal quando conheci e participei do grupo de união e consciência negra, com uma palestra de um africano: Baculelê feita para os colegas do curso de filosofia da UFG. Como padre sempre foi discriminado por uns e muito querido a admirado por outros. Ex: quando alguém procura o padre, mesmo eu tendo bem arrumado eles custam acreditar que sou eu. Quando vou celebrar fora onde sou desconhecido, me pergunta quando o padre vai chegar, eu brinco e falo que está chegando. Na hora marcada visto a túnica e convido o povo para a celebração e sempre uma surpresa. Na escola os pais sempre procura pelo o diretor, mesmo falando que sou eu, muitos não acreditam e às vezes tenho que chamar

Minha esposa que é branca ou uma empregada. Mas eu já estou acostumado até me divirto com isso, mas já perdi alunos por ser preto. O racismo é a pior desgraça de uma sociedade e a pobreza mais pobre de todos os pobres. O preconceito de maneira geral é um câncer maligno e destruídos de todos os seres. Se consegui chegar até aqui, é porque encontrei homens e mulheres sábios e inteligentes que me deram a mão, sinto até com minhas filhas, que por mais que elas gostam de mim, ficam tristes quando alguém fala piadinhas, mas tem um caminho a seguir. E agora? Os negros que não encontraram as pessoas que eu encontrei, como: Dom Pedro Casaldáliga, que me chamou de Dom Zumbi dos Palmares, Dom Celso de Queiroz que com uma brincadeira carinhosa me apresentou na prelazia de São Felix do Araguaia como o bispo da África quando estávamos celebrando a festa de aniversário de 15 anos da prelazia.

E se os negros não encontrar um Dom Fernando, nem um seminário Santa cruz? Eu agradeço ao grande Mestre Jesus por ter colocado essas almas bondosas em meu caminho que me ajudou a me libertar do preconceito e do ódio, hoje me aceito como eu sou preto e não moreno nem escurinho, faço sempre serviço de preto, e não tenho alma branca, porque alma não tem cor. Não sou um preto branco. Sou preto, e meu serviço é meu mesmo e que Pretos, brancos, pardos, amarelos de todas as cores e de todas as raças de mãos dadas construiremos um mundo mais colorido. Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo.

terça-feira, 20 de julho de 2010

MEUS NETOS MINHA HISTÓRIA

MEUS NETOS MINHA HISTÓRIA.

Eu que não podia ter filhos por causa do celibato obrigatório, fui contemplado com sete filhas e dois netos. Eu que ajudei criar meus sete irmãos mais novos, precisava de uma recompensa. O Senhor Deus, estendeu com sua misericordiosa me abençoou com as sete Maravilhas do mundo, e que me presenteou como dois lindos netos.

. O primeiro é o Marcelo, lindo e inteligente, veio para quebrar a rotina, depois de tantas mulheres, um homem. Minha primeira filha Nádia Danielle. Meu primeiro neto Marcelo. Minha terceira filha Bruna Grazielly, meu segundo neto Marcos Felipe.

Felipe meu neto amado

Bonito por natureza

Veio nos trazer um recado

Que está chegando mais uma surpresa.


Surpresa mais linda da vida

Que mamãe sempre sonhou,

O sonho que estava dormindo

Mas agora acordou.


Mais um neto vem chagando

Bruna e Marcos o esperam,

Pai e mãe suspirando

Perfume de primavera.


A primavera vai chegando

Trazendo o perfume da flor,

Marcos Felipe vai crescendo

Com sabedoria paz e amor.


O amor que nunca faltou

No coração da família

Marcos é um ótimo pai

E Bruna uma ótima filha.


Filha mãe e esposa amada

Que luta para vencer,

Construindo sua estrada

Para um lindo alvorecer.


Quando o dia esclarece

E o Sol brilha lá no céu,

Rezai por me uma prece

Para seu humilde vovô Osiel.


Que sua família seja bendita

Que tenham as benções do Senhor

Que todos orem e acredita,

Na paz, na fé e no Amor...


PREMEIRO NETO MARCELO.


Marcelo neto querido

Meu lindo sonho encantado,

Com seus olhos colorido

E seu sorriso dourado.


Veio trazer amor e paz

Para sua mãe querida,

Deixando a tristeza para traz

Trazendo uma nova vida.


Uma vida abençoada

Gerado no ventre sagrado

Mostrando uma nova estrada

E o começo da jornada.


Mamãe caminhando sozinha

Selando os dois destinos

Marcelo nada fazia,

Por ser apenas um menino.


O menino que perdeu seu pai

Logo depois de nascer

Mamãe sozinha se vai

Vencendo em cada alvorecer.


Nádia e Marcelo voaram

Atravessaram o oceano

Um grande amor encontrou

Em um lar Italiano.


Agora Marcelo é italiano...

Encontrou um pai querido,

E Nádia vive sonhando

Com seu Amor GUIDO.


Agora que já encontraram

Um cantinho para morar,

Reze para o Vovô,

Nunca parar de amar...


Que esta família bonita

Que sempre te deu a mão,

Que seja sempre bendita

Vivendo em comunhão...

segunda-feira, 19 de julho de 2010

A família de Jesus e a nossa

A família de Jesus e a nossa

Jesus sendo o filho de Deus não precisava nascer de uma mulher, participar de uma família, nascer em condições precário e fugir para não ser morto. Jesus que se homem para entender os homens, família para entender a família, trabalhador, profeta e mestre.

Em nossa família em que podemos comparar com a família de Jesus?

Vou falar um pouco da minha que parece um pouco com milhares de famílias brasileiras, principalmente dos nordestinos. Vim de uma família humilde segundo minha mãe nasci morto e só depois de três horas dei o primeiro sinal de vida, depois das preces da família e a entrega de minha vida para o Senhor do Bonfin. Meu pai acreditava que eu seria o salvador da família, por isso só eu fui para a escola e minha irmã mais velha para fazer companhia. Com dez anos de idade, minha mãe voltou para Souto Soares e queria que eu fosse, mas minha irmã que ficou encarregada de minha educação depois da morte de meu pai pediu que eu ficasse. Então fugi para um lugar secreto e fiquei três dias com meu cãozinho vira lata escondido e só depois que minha mãe foi embora eu regressei. Elizabete minha irmã e Deusdete meu irmão continuaram com muito sacrifício mantendo meus estudos. Como era muito difícil para meus irmãos, fui morar com um casal em uma cidade de Lapão, Waldemar Oliveira e Desuite, tendo como nono irmão, José o Zelinho, Ivone, Conceição e Ana Maria fui muito bem tratado e amado, mas, como era muito custoso e inquieto fugi e voltei para casa de meus irmãos. Fui convidado para morar com uma família em Calderão um pequeno povoado pertinho de São Gabriel, Irecê: Adonias e Tionila, tendo como irmãozinhos, Nicinha, Mocinho e Zezinho. Fui muito bem cuidado e amado, por ultimo fui morar com o Senhor João José de Sena e dona Viva e São Gabriele meu irmãozinho Waldemir. Minha mãe morava em Calderão com as outras crianças menores, Albino, Carivaldo, Dermival, Mário, Marinalva, Lindauraa e Doralice. Samuel, Jose Luiz, Deusdete e Elizabete ficaram no povoado de Bonzão onde tínhamos um Sítio deixado por nosso pai. Em novembro de 1962, meu irmão Leopoldo passou em São Gabriel em um Pau-de-arara, isto é caminhão coberto de lonas que transportava trabalhadores para outros estados. Pedi para meu irmão me trazer para Goiás, e mesmo contrariando minha mãe e seu João que eu morava com ele eu parti para Goiás em busca de condições melhores. Precisava ajudar minha mãe e meus irmãos menores. Durante dez meses trabalhei na fazenda do Sr. Ubirajara di Ramos Caiado, onde escrevi dez meses no inferno, e um sonho de criança.

Todo o mês mandava todo meu salário para minha mãe. Depois que sai da fazenda fui morar em Araçu, mesmo trabalhando nas fazendas estudava e jogava futebol. Fui acolhido pela família Pires, Justino, Rufino, Costa, Balestra. Na família Balestra fui recibido por Ivo Balestra, Dona Maricota, Lazinha e seus pais, meus irmãos Nelson, Waldivino, Cleomar, Denísia, e Clesia. e todas as famílias araçuensse. Fundei uma escola noturna, com a ajuda do prefeito Hermino Carneiro que cedeu a sala e um lampião e do professor José Barbosa de oliveira. Formei uma turma do quarto ano primário e a formatura foi junto com os alunos da escola municipal muito menor que nós. Fui escolhido como orador da turma e vaiado por ser maior entre os alunos da rede municipal, agradeci pelas vaias e convidei os agressores para estudar no próximo ano. Foi um grande silêncio e uma voz apareceu, era o chefe político da cidade e ex-prefeito Dorival Roriz que me ofereceu todos os materiaa escola atá eu terminar o primeiro grau.

Com a ajuda do Sr. Dorival Roriz e seu filho Mardem Roriz ,pude estudar com todos materiais escolar. Arrumei emprego na prefeitura de quebrar pedra para fazer britas, limpeza e depois no correio. Aprendi ser sapateiro, e consertava as chuteiras dos jogadores. Como o tempo era pouco para estudar, pedi uma amiga para passar a limpo um trabalho escolar, fui humilhado na sala de aula e posto para fora, todos os alunos também sairam, então fui expulso do colégio pela diretora Maristela. Mudei para a cidade de Inhumas, fui acolhido pelo a família Costa Rita Barbára de Jesus, tendo como irmãos, Eurides, Sebastião Costa ,José Rodolfo, Pedro Costa, Aparecida, Paula, Lurdes,Estelita Nenê e Terezinha. Depois fui morar com a família Rufino, Luis Rufino e Dona Isaura, meus irmãos Geraldo, Benedito, Antonio, Divino Rufino, Natalícia, Aparecida e Maria

Depois de passar por várias famílias voltei à Bahia para buscar a minha família biológica, tentei conviver da melhor maneira possível, mas foi difícil. Com os irmãos não consegui muita coisa, com os sobrinhos, mais um pouco, adotei algumas Crianças: Regina Célia, Fernando, Fernanda, Wilingtom, todos hoje estão bem, das filhas, Nadia Danielle, mora na Itália é uma ótima esposa e excelente mãe , cuida muito bem de seu filho. Larissa Cristina mora na frança, é alegre vive como gosta, é feliz e muito querida. Bruna Grasielly, boa esposa, ótima mãe e cria seu filho com muito carinho.

Jaccyara Mayanna é muito religiosa, professora e boa filha, é muito querida entre amigos, amigas, seus alunos e pais. Rayssa Gabrielle ajuda na escola, boa filha, está sempre perto de nós. Laura e Isabella chegaram para unir mais ainda a família, tem todo o carinho de suas irmãs e dos pais. Reconheço que não tenho sido um bom pai como gostaria de ser mais estou aprendendo, sempre falo que o maior sábio do mundo não é aquele mais letrado e sim o que educar melhor sua família. Quanto à família eclesiástica é muito mais complexa é preciso ter bastante caridade e sabedoria Divina. Seguir Jesus na família é olhar todo o contexto de sua vida. Voltar o tempo em que viveu o homem Jesus, entender a cultura da época. Trazer o ontem para o hoje e buscar o amanhã em cada alvorecer.

A FAMILIA DE JESUS E A NOSSA

jesus

O PECADO QUE JESUS NÃO PERDOOU

O PECADO QUE JESUS NÃO PERDOOU

Mas qual é esse pecado tão monstruoso? Jesus que perdoou o Saulo, matador cristão, que hoje é São Paulo, segundo o Evangelho se Mateus, C 4. V, 1-30. Perdoou à prostituta, o ladrão da cruz e falou que deveríamos perdoar até 70 vezes sete. E não foi capaz de perdoar um só pecado! É o pecado da pedofilia, pois assim falou o grande mestre Jesus: Ai daquele que escandalizar um desses pequeninos, é melhor se pegasse uma pedra amarrasse no pescoço e atirasse no mar MT 18,1-10 “O maior no Reino de Deus, é a criança. É claro que Jesus não falou só das crianças, mas de todos marginalizados e excluídos que cresse Nele, mas principalmente os inocentes. Esse foi o primeiro decreto assinado sobre a pena de morte. O que é amarrar uma pedra no pescoço e atirar no mar? Jesus ficou indignado ao ver as crianças sendo maltratadas e agora? Como a igreja está tratando os padres pedófilos e os pastores e outros religiosos? Sabemos que na igreja Romana só agora é que está começando a colocar a pedofilia como um caso de policia, mas antes, simplesmente era mudado de paróquia e nada seria feito com as vitimas. No caso de filhos de padres, a Igreja fazia vista grosa ou pensava só no padre, mas nunca se preocupou com a mulher e criança. Isso é correto? Pedofilia é caso de policia é cadeia mesmo! Não tem perdão. O padre e bispos que cometerem esse pecado têm que ser punidos pela a lei civil e com uma pena muito maior que os leigos, por que estão traindo os inocentes indefesos, a confianças de seus pais e mães e a igreja.COM CRIANÇAS NÃO!!! RELIGIOSOS não! É cadeia sim. Acreditamos que o celibato opcional, seria um caminho, não resolveria todo, pois tem muitos pastores casados e são pedófilos, corruptos usando o nome de Deus para enganar o fieis. O padre tem umas espiritualidades mais profunda e geralmente são mais estudados não estou menosprezando os pastores pois tem pastores muitos bem preparados, mas a verdade tem que ser dita. Se os padres fosse livre para se casarem sem perder o estado clerical, seria o caminho mais seguro. Se os Bispos apoiassem os padres que teriam namoradas e filhos incentivando para o matrimônio, sem perderem o direito de continuarem celebrando, tudo seria diferente. Mas do jeito que a Igreja vem agindo, muitos padres se casam e afastam, outros ficam revoltados deixam a igreja e procuram outra religião e a maioria tem medo de enfrentar as criticas e desprezo da sociedade e até mesmo o medo de enfrentar o trabalho para manter sua família. Preferem viver uma vida dupla, mesmo dentro da igreja tendo mulheres e filhos. Mulheres que não podem andar de mãos dadas com o pai de seus filhos e filhos chamando o pai de tio. Você que é Mulher o que acha? E na escola? E o registro de nascimento, cadê o nome do pai? Que vergonha! Quantos e quantos vivem assim! Quem põe um filho ao mundo e não dar assistência que ele merece, deveria ser castro, pois é a maior ofensa que se pode fazer um filho. E aqueles que sempre falam que vai deixar a igreja para se casar, e a mulher fica esperando, até quando? A imprensa publica um pouco dos casos, mas uma grande maioria ainda está para ser descoberta. Você sabe caso de padre que tem mulheres e filhos e continua celebrando como se nada estivesse acontecendo? Então denuncie, omissão também é pecado. Você meu irmão padre que está sendo vitima do absurdo do celibato obrigatório, e como um ser de busca permanente que se renova em cada alvorecer e descobriu que quer se casar sem perder o estado clerical, junte conosco vamos mostrar ao mundo a força da família e você que se casou e pediu ou não a dispensa não se preocupe venha aqui seu lugar está seguro. Que a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo esteja contigo.
O PROFETA QUE NASCEU MORTO

Aos 4 de março de 1946 na cidade de Souto Soares distrito de Irecê estado da Bahia, nasceu padre Osiel, filho de Roberto Luiz Dos Santos e Eduvirgens Rosa dos Anjos. Minha mãe conta que um ano atrás perdeu um filho que nasceu morto. E também segundo a parteira teria nascido morto. Mamãe mulher de muita fé bisneta de Índios, aos prantos chorava e gritava desesperadamente pedindo a Deus se fosse possível que ela fosse morta e não eu, pois não suportava tanta dor, por está perdendo o segundo filho e de joelho rezou durante três horas. Meu pai muito triste pediu seu compadre Neco o mesmo que fez o caixão do outro menino para fazer o meu. Quando o caixãozinho já estava quase pronto, no meio do silêncio, um Choro bem fraquinho, que quase não se ouvia, um grande silêncio... mais um choro e uma grande gritaria, eu havia ressuscitado, meu pai que não acreditava nas preces de minha mãe, ajoelhou, e pela a primeira vez na vida chorou,e muito emocionado ergueu ara o lato e entregou oa Senhor Bom Jesus da Lapa e a Virgem Mãe Santíssima. A partir desse momento fui sempre preferido do velho. Nunca apanhei é fui o único que meu pai botou na escola. Minha irmã mais velha que eu chamava de tia, todos os dias me levava para escola, por isso ela também estudou Meu pai analfabeto e rude sempre a creditava e falava para seus amigos que eu seria diferente de todos. No dia do batizado foi uma grande confusão meu pai queria que meu nome fosse Amadeus, porque segundo ele eu tinha que amar Deus, mas o padre queria outro nome por achar esse um pouco esquisito. Meu pai chamou os convidados e meus padrinhos para fazer o meu batismo com outro padre que viria no próximo mês. Então o padre sugeriu que o nome fosse Osiel que seria o nome de um profeta, o velho perguntou se Osiel amava Deus, o padre falou que amavam ai acabou a confusão, fui batizado. Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.

O PROFETA QUE NASCEU MORTO

O PROFETA QUE NASCEU MORTO

Aos 4 de março de 1946 na cidade de Souto Soares distrito de Irecê estado da Bahia, nasceu padre Osiel, filho de Roberto Luiz Dos Santos e Eduvirgens Rosa dos Anjos. Minha mãe conta que um ano atrás perdeu um filho que nasceu morto. E também segundo a parteira teria nascido morto. Mamãe mulher de muita fé bisneta de Índios, aos prantos chorava e gritava desesperadamente pedindo a Deus se fosse possível que ela fosse morta e não eu, pois não suportava tanta dor, por está perdendo o segundo filho e de joelho rezou durante três horas. Meu pai muito triste pediu seu compadre Neco o mesmo que fez o caixão do outro menino para fazer o meu. Quando o caixãozinho já estava quase pronto, no meio do silêncio, um Choro bem fraquinho, que quase não se ouvia, um grande silêncio... mais um choro e uma grande gritaria, eu havia ressuscitado, meu pai que não acreditava nas preces de minha mãe, ajoelhou, e pela a primeira vez na vida chorou,e muito emocionado ergueu ara o lato e entregou oa Senhor Bom Jesus da Lapa e a Virgem Mãe Santíssima. A partir desse momento fui sempre preferido do velho. Nunca apanhei é fui o único que meu pai botou na escola. Minha irmã mais velha que eu chamava de tia, todos os dias me levava para escola, por isso ela também estudou Meu pai analfabeto e rude sempre a creditava e falava para seus amigos que eu seria diferente de todos. No dia do batizado foi uma grande confusão meu pai queria que meu nome fosse Amadeus, porque segundo ele eu tinha que amar Deus, mas o padre queria outro nome por achar esse um pouco esquisito. Meu pai chamou os convidados e meus padrinhos para fazer o meu batismo com outro padre que viria no próximo mês. Então o padre sugeriu que o nome fosse Osiel que seria o nome de um profeta, o velho perguntou se Osiel amava Deus, o padre falou que amavam ai acabou a confusão, fui batizado. Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.